10.8.10

Day 6 - A Stranger


Olá! Tudo bem?

Você não me conhece, e talvez nem faria questão se soubesse a pessoa que tenho me tornado com o passar dos anos.
Antigamento costumava ser divertida e poderia assim conversar contigo sobre qualquer assunto a qualquer hora, esbanjando piadas e sorrisos.
Hoje já não posso mais levar essa propaganda enganosa, de ser feliz, moderna e amigável...

Talvez eu possa ainda te ouvir, mas meus conselhos já não serão os fáceis e confortantes. Serão verdadeiros demais para alguém que não o conhece, e quase mais ninguém hoje em dia está preparado para isso.

Você ainda gosta de doces? Eu não.
Você ainda acredita em amor à primeira vista? Eu não.
Você ainda tem um ídolo? Eu não.

Eu acho que de certa forma desaprendi a viver, ou reaprendi da forma errada.
Tornei-me velha e amarga antes do tempo, sofrendo demais por assuntos banais.

Espero que isso valha de exemplo a você para que não siga o mesmo caminho.
Espero que isso sirva de exemplo a mim para tentar voltar a ser o que era.

Se vale uma dica, ouça Ray LaMontagne no trânsito. Pode ajudar!


Um beijo.

Stranger.

9.8.10

Day 5 - Your Dreams

Tenha calma e não desista, farei o possível para que muito em breve vocês possam fazer parte da minha vida não mais como sonho, mas como dia-a-dia.

Aquela viagem está perto, logo logo chegará. Fará tão bem... levar-me-á ao norte, literalmente!

Os dias ruins também estão indo embora. Os dias de sol nascerão e o fim de tarde não vai mais incomodar.

Já a companhia, essa sim deve ser revista.
Quero ser a Charlotte de Werther, a divina dama, a Aline, a Luiza, a tatuagem. Mas... tudo ao seu tempo!

E lembrando Neruda:
"Da luz nada sei, nem donde
vem nem para onde vai,
apenas quero que a luz alumie,
e também não peço à noite explicações,
espero-a e envolve-me,
e assim tu pão e luz
e sombra és."

E à paz minha mais doces palavras!